Monitor de mercado: visão geral sobre o Canadá

A competição mantém estável o preço das passagens aéreas, especialmente para viagens domésticas.

Ambiente de negócios

O Canadá possui a segunda maior reserva de petróleo do mundo e enormes quantidades de madeira e minerais, mas a maior parte de sua economia é baseada na área de serviços. Dois terços dos resultados são provenientes dos setores de varejo, educação, serviços empresariais e de saúde.

A economia do país deve crescer entre 1,4% e 1,9% em 2017, aproveitando o impulso de uma gradual recuperação nos resultados do setor de energia, do fortalecimento de mercados não energéticos e dos esforços governamentais para incentivar o crescimento. Mas as incertezas sobre a política dos EUA deixa o país vulnerável. Cerca de 20% do produto interno bruto canadense é exportado ao vizinho norte-americano. Se o presidente Donald Trump agir de forma coerente com sua retórica protecionista, o Canadá poderá sofrer uma queda em suas atividades comerciais.

O investimento empresarial foi reduzido em 2015 e 2016, com a queda no preço do petróleo desencorajando os gastos de capital. Mas os preços agora estão em alta, o que melhora as perspectivas para o setor de petróleo e gás. Há menos motivos para otimismo com relação aos gastos dos consumidores, já que uma desaceleração no crescimento dos níveis de emprego está comprimindo os aumentos salariais. Além disso, os consumidores canadenses enfrentam maiores pagamentos de hipoteca, pois a elevação nas taxas de juros dos EUA está pressionando as taxas de longo prazo do Canadá.

Panorama de viagens

A saída de viajantes do país representa dois terços de todas as viagens internacionais do mercado canadense, que caíram 3% em 2016. Portanto, mesmo com o aumento de 11% na chegada de viajantes estrangeiros, o total de viagens internacionais cresceu apenas 2% de um ano para outro. Os analistas de mercado esperam um crescimento semelhante em 2017: o número de partidas deve se estabilizar, mas as chegadas sofrerão uma redução.

Os EUA são o mercado mais importante do Canadá, responsáveis por 70% do desembarque de viajantes e quase 60% das partidas internacionais em 2016. Mas os canadenses estão viajando cada vez mais a outros países, como México, Reino Unido e Índia. Ao mesmo tempo, tem crescido a quantidade de viajantes chineses que se destinam ao Canadá: o desembarque desse grupo aumentou mais de 150% entre 2010 e 2015. A China é hoje o terceiro maior mercado de viagens destinadas ao país.

As viagens domésticas representaram dois terços dos US$ 35 bilhões gastos pelas empresas em viagens canadenses em 2016. Após dois anos de fraco crescimento, os gastos com viagens corporativas devem subir de 4% a 5% ao ano até 2020.

Setor aéreo

A maioria das mais de 30 companhias aéreas regulares do Canadá é composta de pequenas operadoras regionais. A Air Canada e a linha aérea de baixo custo WestJet são as maiores companhias aéreas do país. Ambas oferecem rotas por todo o território nacional, e a competição entre elas ajuda a manter estáveis os preços das passagens. A WestJet, tradicionalmente forte na parte ocidental do país, está se expandindo rumo ao leste, aumentando a concorrência em mercados onde a Air Canada costuma suprir mais da metade dos voos. A Porter Airlines é a terceira alternativa para alguns viajantes, especialmente para viagens curtas.

A NewLeaf lançou em 2016 uma companhia aérea de custo ultrabaixo (ultra low-cost carrier, ULCC). Uma segunda ULCC, a Jetlines, deve começar a operar neste ano. A WestJet está reagindo com sua própria ULCC, o que prepara o terreno para uma guerra de tarifas domésticas.

Hospedagem

Após sua fusão com o Starwood e a aquisição do Delta Hotels, o Marriott se uniu às marcas Wyndham, Choice Hotels International, Best Western e IHG como uma das maiores redes internacionais em operação no mercado canadense. Pelo menos 16 hotéis devem ser inaugurados em 2018, o que reforçará ainda mais sua posição.

O Wyndham se concentra em hotéis de categoria econômica. Choice, Best Western e IHG oferecem cobertura nacional de estabelecimentos intermediários. O Marriott possui uma proposta mais variada e oferece hotéis nas categorias intermediária, luxo e superluxo. Redes locais como Sandman Hotel Group, Coast Hotels e Le Germain Hotels proporcionam alternativas em algumas cidades do país.

Os especialistas de pesquisa e informações da BCD Travel traduzem as tendências que promovem o crescimento internacional dos negócios em novos mercados. Converse com seu gestor de contas sobre como a BCD Travel pode ajudar sua empresa a crescer e levar seus viajantes aonde eles precisam estar em qualquer lugar do planeta.

Stay in the know,
even on the go

Never want to miss a thing?

We'll get you the latest news, trends, insights and BCD news right in your inbox.