Nas notícias: Como combater a fraude de viagens com políticas mais rígidas de reservas

Os programas de viagens corporativas devem adotar uma política “sem perfil, sem reserva” para combater fraudes, alerta um especialista em segurança da BCD Travel.

Os programas de viagens corporativas devem adotar uma política “sem perfil, sem reserva” para combater fraudes, alerta um especialista em segurança da BCD Travel.

O conselho segue um alerta do Bureau Federal de Investigação dos EUA de que os fraudadores estão reservando voos por meio de empresas de gerenciamento de viagens, se passando por funcionários de seus clientes.

Ferramentas de combate à fraude 

Descubra como soluções automatizadas podem reduzir pela metade as fraudes relacionadas a despesas.

“Os impostores usam nomes reais e cargos dos funcionários dos clientes que eles encontram, por exemplo, em redes sociais. Em alguns casos, eles até conseguem que o cliente entre em contato com a equipe da TMC, informando que colaborador de outra região ou país entrará em contato com eles, com um pedido de reserva urgente”, explicou Andreas Decker, Vice-Presidente Sênior de Auditoria Interna Global da BCD da Holanda, em artigo recente para Business Travel News. O artigo detalha os sinais de alerta do FBI de atividades suspeitas.

Decker disse à BTN que a fraude de reserva só pode ser evitada, em muitos casos, se houver um forte processo de validação de chamadas que seja estritamente respeitado. Portanto, é recomendável ter perfis de viajantes validados para todos os funcionários e aplicar uma política de ‘sem perfil, sem reserva’. Os clientes também devem alertar seus funcionários sobre as práticas enganosas desses fraudadores.”

Stay in the know,
even on the go

Never want to miss a thing? We'll get you the latest news, trends, insights and BCD news right in your inbox.