A melhor forma de pagar no exterior: cartão de crédito ou cartão de débito?

Cartão de crédito ou cartão de débito? Qual deles o viajante corporativo deve usar no exterior? E mais: dicas para gerenciar seus cartões durante a viagem.

Ao viajar para o exterior a negócios, os viajantes podem se encontrar em um restaurante, café ou loja se perguntando que tipo de cartão usar para pagar. Escolher a melhor opção entre um cartão de crédito e um cartão de débito pode evitar complicações e ajudar você a controlar melhor os gastos e economizar dinheiro.

Ambos os tipos de cartões podem ter taxas de transação. Existem vários tipos de taxas, dependendo do produto do cartão ou da moeda utilizada, bem como das regulamentações do país. Tanto os emissores de cartões quanto os caixas eletrônicos, bem como aqueles que vendem e processam pagamentos, podem cobrar comissões. Revisar os termos e condições dos cartões e observar a tabela de taxas pode ajudar a tomar decisões de pagamento. De fato, alguns cartões não cobram taxas de transação no exterior.

Pague com cartão de crédito

Os cartões de crédito são amplamente aceitos em todo o mundo e podem servir como garantia, por exemplo, para alugar um carro. Os viajantes corporativos têm vantagens como prazos de pagamento mais longos, seguro, pontos para compras, relatórios abrangentes e a capacidade de integrar informações de despesas em sistemas de controle de custos. Por outro lado, as taxas de transação costumam ser mais altas do que as dos cartões de débito. Tanto os comerciantes quanto os bancos podem cobrar uma comissão pelo pagamento e pela conversão. Caso o estabelecimento comercial não exiba a informação referente às comissões, os viajantes devem questionar. Os cartões de crédito podem estar sujeitos a retenções temporárias e cobranças fantasmas ou não reconhecidas.

Pague com cartão de débito

Os cartões de débito não são muito usados ​​para viagens corporativas, porque as cobranças vão diretamente para a conta bancária do titular do cartão e não oferecem condições de pagamento. Os viajantes que optam por usá-los devem estar cientes de que pagar com o cartão geralmente é mais barato do que fazer saques em dinheiro. Dessa forma, eles evitam taxas de caixas eletrônicos e podem acumular pontos em programas de benefícios. Antes de um estabelecimento aceitar o pagamento, ele pode perguntar se o comprador deseja pagar em moeda local. Essa opção evita certas taxas, mas lembre-se de que um banco estrangeiro ainda pode cobrar uma taxa ao processar a transação. Por fim, alguns comerciantes podem fazer uma cobrança não reconhecida ou uma retenção temporária em uma conta bancária, para verificar sua validade. Se tudo isso é um pouco confuso, a instituição financeira é o melhor recurso para aconselhamento.

Dinheiro e câmbio

Carregar dinheiro fornece uma rede de segurança quando os sistemas de pagamento estão inoperantes, os cartões são recusados ​​ou os viajantes encontram fornecedores que aceitam somente pagamento em dinheiro. Trocar dinheiro por moeda estrangeira não é difícil, mas os viajantes devem decidir se devem fazê-lo na instituição financeira local, antes de viajar, ou na chegada ao destino. Esta última opção pode envolver uma redução nas taxas de câmbio, que são definidas como o valor de uma moeda para sua conversão em outra.

11 dicas para gerenciar cartões e dinheiro no exterior

  1. Informe as entidades financeiras sobre seus planos de viagem para evitar acionar alertas de fraude, roubo ou atividade incomum
  2. Quando necessário, ative os cartões para uso fora do país de origem
  3. Leve vários métodos de pagamento em uma viagem, incluindo uma quantia em dinheiro com a qual você se sinta confortável
  4. Use um localizador de caixas eletrônicos para ter uma ideia geral da disponibilidade
  5. Memorize as chaves e os números de identificação pessoal (PIN) dos cartões, ou guarde-os de forma segura e não identificável. Se um caixa eletrônico estrangeiro solicitar uma senha de 6 dígitos, digite a senha de 4 dígitos e confirme com o respectivo botão (geralmente verde)
  6. Pagamentos sem contato, como Apple Pay ou Google Pay, não funcionam em todos os países (por exemplo, na Ásia). Esta é outra razão para lembrar as chaves
  7. Reduza o número de saques em caixas eletrônicos, optando por valores maiores
  8. Decida quando e onde trocar moedas
  9. Tente gastar dinheiro no exterior em moeda estrangeira
  10. Fique alerta! Toda vez que você usa as cartas, você se expõe a um risco. Preste atenção ao seu entorno e examine máquinas de tarja magnética, pequenos dispositivos ou outro hardware usado para roubar informações bancárias
  11. Se seu cartão for perdido ou roubado, bloqueie-o imediatamente e entre em contato com sua instituição financeira para obter ajuda na obtenção de cartões temporários ou fundos de emergência. Lembre-se de registrar um boletim de ocorrência

Automação de pagamento virtual (VPA) para clientes BCD Travel

A BCD Travel oferece aos seus clientes uma maneira fácil de pagar as contas do hotel de seus viajantes em qualquer lugar. A automação de pagamentos virtuais é uma alternativa aos cartões corporativos tradicionais. Torne mais fácil do que nunca o pagamento centralizado de estadias para colaboradores sem cartão de crédito corporativo.

Ao gerar automaticamente um novo número de cartão virtual para cada transação, o risco de fraude é bastante reduzido. Quando é hora de reconciliar, todas as cobranças em uma conta de cartão virtual são automaticamente comparadas com as reservas, economizando tempo e recursos dos travel managers e viajantes. As contas do hotel são coletadas e verificadas, prontas para reconciliação ou reivindicação de IVA. VEJA MAIS

Stay in the know,
even on the go

Never want to miss a thing?

We'll get you the latest news, trends, insights and BCD news right in your inbox.